Polinésio C A T A M A R A N S
O seu barco construído por quem é do mar!
Quem Somos
TARCÍSIO SILVA Quem sou eu? Hummm! Faz cinquenta anos que busco uma resposta para essa pergunta fundamental. Mas em todo caso... Sou Tarcísio Silva. Passei a infância na praia de Piedade, ao Sul de Recife e a adolescência às margens do Rio São Francisco entre Petrolina-PE e Juazeiro-BA, onde tive oportunidade de aprender a velejar em jangadas, canoas e paquetes. Sou pintor e escultor de formação; desiludido com a carreira artística, - ao chegar aos trinta e cinco anos percebi que o mercado de arte tem razões que a própria razão desconhece - e, com os bolsos às avessas, decidi mudar de rumo e realizar o antigo sonho de trabalhar e morar a bordo e tornar-me literalmente cidadão do mundo. Assim, a partir de 1994 passei a navegar, embarcando em diversos veleiros oceânicos. A princípio como aprendiz, depois marinheiro, imediato e finalmente comandante; fazendo deliveries (traslado de barcos) pela costa brasileira, entre Natal, Fernando de Noronha e Paranaguá. Em seis anos naveguei mais de 15.000 milhas náuticas, a maior parte na companhia do meu mestre Fernando Godoy. Com essa atividade conheci a fundo muitos modelos de veleiros de série e artesanais, aprendi e passei também a prestar serviços de manutenção, instalação de equipamentos e reformas. Em 1999 iniciei a construção do meu primeiro veleiro, o “Polinésio”, um catamaran de 21 pés (6,60 m) seguindo o projeto do designer inglês James Wharram, uma lenda viva nesse tipo de embarcação. Em novembro de 2000 o Polinésio ficou pronto. Embarquei a família e parti para uma viagem de Recife-PE a Parati-RJ, que durou cinco anos, passando a morar a bordo desde então. Detalhes dessa viagem podem ser vistos em www.veleiro.net/polinesio e no livro “Polinésio: O sonho a construção e a viagem do meu primeiro veleiro”. Desde a partida, o Polinésio se tornou um estaleiro flutuante e tenho prestado serviços de construção e reforma de veleiros, especialmente catamarans, indo até o porto/cidade do cliente. Moramos a bordo por 10 anos, até a separação do casal. Continuei por mais dois anos na companhia do meu filho. E para viabilizar o projeto atual, mudamos para terra e o barco fica ancorado aqui, na Praia da Itinga/Bracuhy. E assim as esculturas tornaram-se flutuantes, navegantes, barcos capazes de abrigar famílias “de rolé” pelo planeta... Os principais trabalhos que realizei nessa área estão detalhados na página Polinésio Catamarans – O atelier. Em 2004, em Macaé, RJ, reconstruí o casco e, junto com Benno Grapentin, desenvolvemos e construímos uma versão cruzeiro para o seu MC22/25 “Sakumé”. Em Parati, no extremo sul do Rio de Janeiro, entre 2005 e 2011, reconstruí o “Tamure” (catamaran Taaroa 750), construí o “Puma” (catamaran one-off de 15 metros), o “Bagual” (monocasco Multichine 28’), além de outras embarcações menores; Projetei e iniciei a construção do catamaran Vahine 36’, que neste momento está seguindo muito lentamente. Atualmente em Bracuhy, Angra dos Reis; sob um galpão de 135m² com 5m de pé direito, estou construindo - sob encomenda, o “Avôhai”, um catamaran de 38 pés em strip planking de cedro e composite de divinycell/fibra, o W1160, projetado pelo arquiteto australiano Mike Waller.